Como surgiu o horóscopo ?

horoscopo.jpg

O que é um Horóscopo ?

Todos estamos acostumados ao horóscopo de jornal, peça da cultura inútil, segundo uns, ou ferramenta indispensável para se começar um dia, segundo outros. O horóscopo é o primeiro, e muitas vezes único, contato das pessoas com a astrologia. Apesar de muitas pessoas hoje em dia terem contato com “manuais” que descrevem os signos, e com a internet, essas fontes são em geral divulgadoras de péssima astrologia, daquela que é misturada com boas doses de “na minha experiência” (tradução: eu que inventei) e “todo mundo sabe que” (tradução: “ouvi falar disso em algum lugar, mas não lembro onde”).

Ou seja, apesar de muita gente defender o horóscopo de jornal, a verdade é que ele dificilmente é um caminho para conhecimentos mais profundos. Mas o fato é que ele rende uma graninha estável pros astrólogos que escrevem. Quando são astrólogos, é claro. Até meu pai, quando trabalhou no jornal, já escreveu horóscopo ! Ele substituía o “astrólogo” oficial (outro jornalista) quando esse estava de férias. O oficial inventava o horóscopo da cabeça dele, e meu pai, que era mais preguiçoso (ou como ele diria “prático”) simplesmente pegava o horóscopo da semana anterior e publicava de novo…

Mas nem sempre foi assim… antes do final do século 19/começo do 20, não existia essa história de horóscopo de jornal. Durante boa parte da antiguidade a astrologia foi uma espécie de “profissão liberal” para os que atendiam os ricos, ensinada nas universidades como parte do conhecimento da época. (Em geral hoje em dia, em história da educação, mudam o nome para “astronomia” para dar status à essa, mas na prática era astrologia mesmo…). Afinal de contas, para várias profissões, como a medicina, a astrologia era “matéria obrigatória” pra passar de ano ! E, dessa maneira, se você queria uma previsão de um astrólogo, ele faria um estudo individualizado para você, interpretando sua carta astral.

Na verdade a palavra “horoskopos” significa ascendente, que é a casa 1 de uma carta astral, e depois foi raptada para significar as previsões de jornal.

A industrialização da Astrologia.

Em administração e economia, é impossível não estudar o Fordismo, método de produção que revolucionou o mundo e criou a sociedade de consumo. Ford criou coisas simples, como a linha de montagem e as peças padronizadas, que permitiam que ele colocasse trabalhadores não especializados trabalhando da forma mais eficiente (e chata) possível.

Pois muito antes disso, em 1889, Ford foi antecipado pelo astrólogo Alan Leo. Suzel Fuzeau Braesch conta as aventuras comerciais desse senhor:

“Teósofo por um lado, Léo mostraria, por outro, um grande tino comercial. Com Lacey, ofereceu, pela primeira vez, horóscopos gratuitos aos assinantes do Astrologer´s Magazine. O sucesso foi grande, mas o trabalho, como se pode imaginar, tornou-se imenso (…)

[Alan Leo] dirigiu o que se poderia qualificar de a primeira empresa astrológica do mundo, com uma dezena de empregados para realizar os cálculos e redigir os textos. A empresa prosperou durante os primeiros anos antes do novo século [vinte]. Léo conseguiu aperfeiçoar uma técnica de confecção maciça de horóscopos, graças a textos pré-fabricados para cada tipo de mapa e a uma máquina copiadora. (…) “

Agora podemos entender alguns dos elementos que fizeram o horóscopo ser o que ele é hoje !

Em primeiro lugar a necessidade de Alan Leo de fazer grandes previsões padronizadas para grupos gigantescos de pessoas necessitava que essas previsões fossem esquemáticas, vagas, e genéricas o suficiente para que todos se identificassem nelas. Assim, nasceu a mania da astrologia moderna de não fazer previsões, e sim falar de “tendências psicológicas”, em geral de maneira elogiosa, pra que ninguém se sinta ofendido ou decepcionado.

Em segundo lugar isso explica porque o Sol, que nunca teve um papel fundamental dentro da astrologia da personalidade, repentinamente foi elevado ao centro do espetáculo, deixando pra trás a Lua e o Ascendente, que sempre foram considerados mais importantes que ele nesse ponto. Para saber o Ascendente necessitamos saber com precisão a hora de nascimento. Até mesmo para saber em que signo a lua estava necessitamos de uma tabela acurada para cada dia de cada ano !

Mas com o Sol não… uma tabela simples, de meia página, e qualquer tonto pode descobrir qual é seu signo solar. Esse é um daqueles casos que a necessidade da técnica veio antes dela ter qualquer justificativa teórica !

Você pode perguntar agora “tá, entao o horóscopo surgiu pra ganhar dinheiro… mas ele funciona ? E como se calcula um ?” Mas isso é assunto pra outro dia.

Artigos Relacionados:

Escola de Astrologia “Jack o Estripador”

Que planeta mostra minha personalidade ?

Adianta prever o que já aconteceu ?

Posted in Mapa natal, Previsao e Técnicas Tagged with: , ,
8 comments on “Como surgiu o horóscopo ?
  1. Gisela says:

    Meu pai também era contato de um extinto jornal americano no Brasil e me contava essas coisas sobre o horóscopo e acho até que ele também já fez um, mas o forte dele nunca foi a escrita; não era jornalista. Ele é bom de “lobby”, isso sim. 😉 Já eu sou muito mais taxativa, mas também sei “sair como leão da montanha, pela esquerda” ou “à francesa”.

    Não sabia que o Sol era tão importante assim para a chamada astrologia moderna. Engraçado que eu visito uma comunidade no Orkut e às vezes reparo umas coisas, enfim, milhares de coisas com as quais tendo a concordar e outras não. Exemplo: acho estranho sempre pedirem pra se pôr o ego de lado, deixá-lo um pouco pra lá ou então “não use tanto a máscara”. Até concordo que a “persona” bem utilizada nos ajuda e que não poderia ser somente uma “tela de proteção”, matando o tal do self. E o ascendente seria isso, essa porta de entrada. Mas fico meio bamba e não sei o que pensar, porque sinceramente, a máscara é muito boa, eu acho. E sem querer falar muito de Astrologia, mas imagine alguém que não as tem, as máscaras, esse alguém vai ficar “nu” em sociedade? Não dá. Eu sempre fui super impulsiva e meu Sol de casa 8 saía nas horas adequadas mas às vezes não aguentava a pressão e tudo voltava pra mim. Hoje acho que sei controlá-lo. Aliás, quem tem esse Sol costuma se pôr pra baixo, fico meio revoltada com isso.

    Sobre as previsões: o jeito é apelar pra intuição e para os sonhos mesmo já que todo mundo tem receio de falar algo. Acho que o medo é uma das melhores formas de proteção.

    Enfim.. Bjs

  2. yuzuru says:

    “Não sabia que o Sol era tão importante assim para a chamada astrologia moderna.”
    Claro que sim, Gisela. Basta pensar em quantas pessoas entram em comunidade de orkut “é verdade que escorpião é vingativo?”, “descobri que meu namorado é sagitário, que faço ?”, “aquário combina com libra ?”. O Sol virou o primeiro fator pra se encontrar a personalidade, e ele nunca teve esse papel antes.

    “Engraçado que eu visito uma comunidade no Orkut e às vezes reparo umas coisas, enfim, milhares de coisas com as quais tendo a concordar e outras não. Exemplo: acho estranho sempre pedirem pra se pôr o ego de lado”

    HA, esse é um bom conselho ¡pra eles ! Nunca vi uma comunidade de orkut que não fosse regida por uma série de reizinhos, princesinhos, etc, todos girando em torno de sua mediocridade…

    Num artigo em http://www.cfgigolo.com/archives/2006/06/cuidado_com_os_wikipedistas.html
    tem uma critica a wikipedia, mas a maioria das coisas sao aplicáveis ao orkut;
    “É absolutamente hilário, portam-se como babadores-de-ovo profissionais, sedentos por atenção, elogios e medalinhas” ,
    “muitas vezes esses editores atuam em bando, contando com a colaboração (especialmente no monitoramento de mudanças de artigos) de outros Wikipedistas amigos, que os defenderão cegamente em qualquer disputa, sem se preocupar com quem tem razão ou não.”

    Bem, nao vou entrar mais ainda nessa discussao 😉
    De resto, dizer que o ascendente é “máscara” é uma invenção (pra não dizer “erro”) da astrologia moderna.

  3. Gisela says:

    Entendi a coisa do Sol; verdade.

    Yuzuru, ainda bem que me entendeu o que falei sobre o “ego”. Claro que não disse isso por lá porque já foi época em que debatia e argumentava racionalmente em blogs e afins quando todos se utilizavam do suporte grupal ou emoções e no fim depois eu que vou cavar meu próprio buraco? No more.. Hoje simplesmente digo e sumo, se for o caso ou me abstenho de dar opinião. E ainda mais no Orkut onde há “contador maluco”. Eu agradeço quando alguém me faz um bem, me responde a uma dúvida, é generoso, mas daí a chamar alguém de rei, nem que seja brincando. O que é engraçado nisso tudo é que essa “flatterie” às vezes não dá nada, não traz nada à pessoa “qui flatte”. Isso que acho hilário, o povo fica lá, fica lá e o que recebe? Algum emprego ou ganhos financeiros? Não falo do profissional e sim de quem necessita do esclarecimento. É estranho…

    Bjs

  4. Nalu says:

    Engraçada a coincidência, meu pai foi radialista em Juiz de Fora nos anos 60 e ele “fazia” os horóscopos diariamente e nunca leu um livro de astrologia. Ele também vivia reciclando os próprios horóscopos e escrevendo “previsões” altamente genéricas. Mas ele era o “astrólogo oficial” hahaha.
    E até hoje me enche o saco por isso e fala se até eu fazia, olha quanta credibilidade! 🙁

  5. hola quiero saver si yo cancer me llevo con mi enamorado de signo escorpio sienpre paramos peliando

  6. Renan says:

    Uma duas coisas me chamaram atenção nesse artigo:

    Quais são e onde posso encontrar livros que contam, mesmo que de certa forma superficial, a história da astrologia e do “horoscopo”: Eu só encontrei um lançamento da editora Mantras, mas estava tão “esotericado” que acabei ficando em dúvida se era alguma coisa realmente coerente e veridica.

    Outro ponto que eu gostaria de compartilhar que eu acho bastante interessante: Quando trabalhava no IBOPE, famoso instituto de pesquisa no Brasil, medindo a audiência de jornais e radios, a audiência das páginas do horoscopo ou a “hora que passava os signos” era muito alta. Se vocês repararem, há propagandas de grande empresas nessas páginas por um motivo bastante obvio: São as páginas mais vistas dos jornais, no mesmo patamar da primeira página, manchentes e esportes. Não irei ainda entrar no mérito de o horoscopo está certo ou não, mas reforço que realmente consideram deixar a astrologia popular com isso.

    Agora, o questionamento chato: No que isso nos beneficia e nos que nos prejudica?

    • yuzuru says:

      O unico livro que eu conheco que é barato e fácil de achar é “A astrologia” de Suzel Fuzeal Braesch.
      eu comprei a minha copia numa papelivros por 1,99
      Suzel é mais séria e nao tem o lance esoterico. mas a maior parte do livro é sobre a historia da astrologia moderna.

      Nao entro muito no merito de beneficia ou prejudica… eles estao lá, e sao resultado da astrologia moderna, e eu nao faco astrologia moderna

  7. rafaela says:

    eu adoro o horoscopo ñ saio de casa sem ler meu horoscopo (brincadeirinha) mais sempre que posso leio meu horoscopo (quase todos os dias) eu adoro o horoscopo!

1 Pings/Trackbacks for "Como surgiu o horóscopo ?"
  1. […] semana os comentários que mais me impressionaram foram os da Nalu e da Gisela, pois nós três tivemos pais que trabalharam em jornal fazendo horóscopo picareta ! […]

Leave a Reply to Gisela Cancel reply

Aprenda mais astrologia

Veja o que perdeu

%d bloggers like this: