Eleições americanas 2020 – parte I

Há tantas técnicas para ver o resultado de uma eleição que chega a encher a paciência. Vamos ver algumas abaixo, para quem não conhece a arte das eleições.

A arte dos ingressos solares.

Astrólogos tradicionais conhecem o ingresso solar em áries – mas Mashallah reserva a opção de ter múltiplos ingressos durante o ano, dependendo do signo no Ascendente. Para os EUA, abrimos o ingresso solar (abaixo) em áries e vemos um signo fixo, e consideramos que ele é suficiente para o ano todo.

Ingresso em áries para Washington, com signo fixo

Como escorpião é um signo fixo, Mashallah nos diz para usar apenas essa carta (note que comparado com o método de Abu Mashar, isso é apenas para o “up to date” as pequenas notícias que não alteram o destino das nações, mas mantém o povo ocupado, há uma pequena nota de Abu Mashar sobre os métodos de ver o cotidiano).

Quem criou esse método na verdade foi Bernadette BRady (tanto que eu saiba), mas ela usava o ASC e o DSC sem muita justificativa. Eu mudei nos anos 2000 para o MC e o IC, usando outras coisas como o sol e lua, parte fortuna e os ingressos intermediários |(com a inestimável ajuda de Steven Birchfield). Mas agora Brennan decidiu que (óbvio) quem inventou foi a americana Nina Gryphon (ótima por sinal, mas fez isso quase 13 anos depois). Ah, bem, a vitória é dada por quem têm podcasts em inglês com audiência americana.

Como o MC representa o governo e a figura dos poderosos, pegamos para o candidato já presidente e seu partido. O IC fica com analogia de oposição ao presidente. Então mercúrio para Trump e Júpiter para Biden. Os antigos nos dizem que o planeta superior vence o inferior (mercúrio é inferior a júpiter) mas isso só vale, obviamente, caso os outros fatores sejam constantes, e eles nunca são.

Ignoramos a dignidade e vamos para a angularidade – Júpiter está sucedente, mercúrio está “perto” do ângulo, mas bem no limite do que usaríamos como margem. Não considero então nenhum dos planetas como angular (mas note – se você considerar mercúrio como já angular a 5 graus do ângulo, então Trump seria o vencedor)

Sol e Lua não se enxergam um ao outro, então o Rei não tem domínio automático da coroa, ele terá que lutar por ela.

Agora como não há nenhum candidato claramente superior a outro, vamos vendo fatores secundários – a casa 10 a partir do MC e a 10 do IC. São casas derivadas.

Vemos então que a Lua (povo) aspecta vênus (regente 10 de Trump).

Poderíamos ver Marte (regente da 1) com Júpiter (regente Biden) como o sucesso de Biden escolhendo ele. Mas é um testemunho fraco porque marte não é recebido por Júpiter.

Resumo do método

dois sinais médios para Trump (mercúrio quase angular e lua (povo) aspectando vênus)

um sinal médio (marte com Júpiter) para Biden.

Aqui uma mini lição – uma das coisas que eu mais vi que as pessoas simplesmente não aceitam é que um método não funcione ou não nos dê informação 100% do tempo.

Veremos outro método na semana que vem

Tagged with: , , ,

Leave a Reply