Nesse video da sessao ¨Pergunte o que quiser” eu respondo a pergunta do Aldis sobre a importância de Vênus no mundo moderno. Por que vemos Vênus cada vez mais forte e influente na sociedade cotidiana, nos relacionamentos, e na veneração de pop stars jovens?

A ideia de Era de Aquário é basicamente um mito do new age. Em nenhum momento dos 5000 anos de história da Astrologia alguém se preocupou com isso. As grandes eras astrológicas eram calculadas de maneira mais complexa, e que portanto exige estudo.

A era de aquário, mesmo que tivesse valor astrológico, tem início indeterminado. Como as constelções não são signos, suas fronteiras nao sao fixas, e é difícil saber quando uma constelaçao começa e outra termina.

Já a grande conjunçao ocorre a cada 20 anos aproximadamente, quando Jupiter e Saturno se encontram no mesmo signo. A última conjuncao foi lá por 22 de touro.

O mapa abaixo mostra a carta da GC. Note que anotamos o grau da GC, mas a carta usada é a do ingresso solar em Aries anterior à GC. Na resposta eu comentei que venus estava em gemeos, mas isso é na carta do momento exato da GC.

Grande Conjuncao de Jupiter e Saturno em Touro em 2000
Grande Conjuncao de Jupiter e Saturno em Touro em 2000

Nessa carta também note que Venus está conjunta a mercúrio exilado (portanto de baixa qualidade).

Comments

  1. Só para esclarecer – qual foi a localidade do mapa do ingresso que deixou em anexo neste artigo ?

    No ingresso, Vênus está se afastando de Júpiter para ir para Saturno. Ela o recebe (aspecto aplicativo), mas ele não.
    Também está bem exaltada em Peixes, não ?
    Mercúrio se aplica a ela, e ele está conjunto a Formaulhaut.

    Dentro de Mundana, a Carta de Ingresso é mais importante do que a data do momento da GC, não ?
    Como é que se calcula o momento de uma GC, com planetas lentos ? Confia no software ?

    Lua bem cheia, isto tem algum significado em particular ?

    1. Eu nem lembro, acho que peguei do Rio de Janeiro. Qualquer um servia porque estávamos discutindo o efeito “mundial”

      Cuidado aqui, que é um ponto importante, de recepcao: nao confunda, como Frawley, recepcao com disposicao e generosidade:

      Só existe recepcao em um UNICO caso
      -dois planetas estao se aspectando
      -E estao se aproximando
      -E o planeta Y (venus) está nas dignidades do planeta mais lento (Jupiter)

      Entao dizemos que jupiter recebeu o aspecto de venus.
      Nao importa em que signo jupiter está, em escorpiao, touro, dá na mesma

      O que Frawley e outros significam é que receber nao é genérico, ele significa literalmente receber o aspecto. É um lorde que está recebendo um pedido de outro lorde e vai decidir se o atende.

      Entao de nenhuma maneira falamos que venus recebe jupiter, pq ela é quem aplica o aspecto, ou seja, ela quem está pedindo.

      O fato de mercurio estar conjunto a formauhaut parece interessante, mas eu tendo a nao olhar por dois motivos. Primeiro que mercurio quase sempre vai estar em peixes no ingresso em aries, entao ele tem poucas alternativas. E segundo que é dificil interpretar isso para 20 anos, é possível, mas difícil. Formaulhaut é estrela do inverno e do dia mais negro, da barriga da baleia, do caminho espiritual que passa pela noite. Mas eu teria dificuldade de dizer que será uma “geracao de deprimidos” ou algo assim.

      Acho que eu ja falei isso, ou entao foi pesadelo 😛
      Voce pode achar o grau exato que a GC ocorre, e esse ponto era usado pelos árabes e é importante. Se voce usar o janus, na funcao eletiva, voce pode ir avancando minuto por minuto até achar o grau exato em que JUp e Sat estao conjuntos.

      Eu usei muito essa carta no começo. POr exemplo, notamos em 2000 que ela estava angular nos EUA, nos anos 90 na RUssia e em 2020 estará Angular na China.

      Mas a precisao disso é meio fantasiosa. Na verdade a precisao dos softwares de hoje em dia nao é realmente tao grande para dizer se dois planetas tao lentos realmente ja passaram da conjuncao ou nao, eles usam medias de posicao. Entao nós podemos, ilusionados, calcular como 2 da tarde, 3 minutos e 14 segundos, mas na verdade o resultado estar errado por um valor que nao sabemos.

      Entao, apesar de eu ainda olhar a carta da conjuncao “real” as vezes, tecnicamente ela nao é confiavel e eu vou mudando para o ingresso em aries, que é o que a tradicao dizia mesmo.

      Lua cheia eu só uso em eleicoes, se está oposto ao sol é sinal de que o povo está de saco cheio do rei.

  2. Obrigado pelas depurações!

    Neste ingresso então, não há recepção de Júpiter (pois ele já é separativo, apesar dele dispor a ela, e ela dispor a ele), e nem de Saturno (por não ter dignidades no grau onde Vênus está), certo ?

    Outra dúvida, dos planetas lentos, é que a Conjunção que vale é o “reencontro” dos vinte anos, ou seja, a primeira conjunção deles, né ?
    Avançando nas datas, é possível que eles fiquem conjuntos umas três vezes (pela retrogradação e posterior volta ao movimento direto), como ocorreu em 1980-1981.

    Na Carta de Ingresso, podemos valorizar a angularidade ? Vênus no caso, além de exaltada, está sentada no grau do ascendente, certo ?
    É interessante que a simbologia é compatível com o que o Aldis havia colocado, sobre o quanto que esta época parece ter um teor venéreo – e ainda mais uma Vênus exaltada, no Ascendente, e conjunta a um Mercúrio exilado e em queda!!

    1. sim,na verdade, como os dois planetas se separam, é até possível dizer que júpiter “rejeitou” o pedido de Venus.

      A questao de planetas que ficam retrogrados, e que portanto podem se encontrar duas ou tres vezes é um dos motivos porque só usamos cartas de ingressos e de lunacoes. Supondo que eles se encontrem em pontos diferentes, minha lógica seria de usar o primeiro ponto de encontro, e o ingresso anterior ao primeiro encontro.

      Sim, devemos usar a angularidade, sabendo que ela só vai ser usada para cada regiao E que a GC é importante para analisar coisas MENORES que a GC, Ingressos solares, mas que em si, ela só tem sentido vista dentro de outras cartas maiores!

      No caso, venus está conjunta a mercurio exilado para todo o mundo.
      Mas ela só está angular em certas regioes do mundo, no caso para o Rio de Janeiro.

      O trabalho é muito comprido. Outro dia eu estava pesquisando para ver qual carta mundana melhor mostrava o desaparecimento do aviao da malasia (morro de medo de aviao e é um projeto meu de pessoa apavorada tentar usar a astrologia para evitar as epocas ruins) e foram bem umas 3 horas.

      As cartas de ingresso, na visao de Abu Mashar, eram parecidas com Retornos solares… uma carta Maior era vista como uma especie de carta natal para a localidade, e as cartas menores seriam vistas como retornos solares. Mas, é claro essas cartas maiores sao vistas como cartas menores de outras cartas ainda maiores, e etc.

      Mas, na pratica, a que eu mais uso é a carta de ingresso para o surgimento do pais, e a firdaria dos paises para ajudar a demonstrar. Vou escrever um artigo mostrando que provavelmente Dilma vai sair do poder esse ano.

Deixe uma resposta